• Fonte: Operaction

Combustível adulterado.


A qualidade do óleo diesel é a maior preocupação dos condutores de veículos movida com este combustível. Existem duas opções (com e sem aditivos) disponíveis de diesel (comum S-10 e comum S-500, aditivado S-10, aditivado S-500) faz com que muitos consumidores desconheçam as diferenças entre esses combustíveis e não saiba identificá-los na hora de abastecer, sem contar é claro que o diesel adulterado que deveria ser nossa maior preocupação.


Examinar a coloração, a cor é o elemento mais visível do tipo de combustível que você está comprando, mas há outras coisas que você pode observar e exigir do posto de abastecimento.


Critérios de coloração do diesel:


Diesel S-10 (Baixo teor de enxofre): coloração de transparente a amarelo claro.

Diesel S-500: coloração vermelha.

Sempre observar:


O preço do combustível na bomba: preço muito abaixo do valor de mercado da região é um indicativo de que pode haver adulteração.

Verificar a origem do combustível: os postos são obrigados a apresentar de forma clara e objetiva o distribuidor do diesel que está oferecendo, isso é muito importante no caso de postos com bandeira branca.


Exigir Nota Fiscal. A nota deve ser guardada, pois é a prova de que o combustível foi comprado naquele posto.

Conferir se os preços no painel afixado na entrada e na bomba estão iguais.

Em caso de irregularidades, denunciar à ANP, por meio da Central de Atendimento 0800-970-0267.


Na dúvida, solicitar ao funcionário do posto de abastecimento que retire uma amostra de um litro de diesel, diretamente do tanque, e colocar a amostra em uma proveta transparente de vidro para verificar se há impurezas como água ou materiais estranhos no combustível.

Verificar se o combustível possui seu cheiro (odor) característico, uma das adulterações mais comuns no mercado é o uso de querosene, que altera o odor do diesel.


Observar se o tanque de armazenamento for aéreo (estiver visível e não enterrado) se há uma boa conservação dele, se está abrigado de chuva e de variações bruscas de temperatura.

Buscar postos que possuam um bom fluxo de abastecimento, sinal de combustível novo e de boa qualidade.


Para quem costuma dirigir pelas mesmas estradas/regiões e abastecer nos mesmos postos, converse com os frentistas, busque saber se eles realizam frequentemente a drenagem de água dos tanques.

Abastecer apenas em postos que possuam sistemas de filtragem do diesel, de preferência onde o diesel é filtrado no ato do abastecimento.


Observar o desempenho do veículo após o abastecimento, caso haja alguma mudança no comportamento do veículo procurar um mecânico de confiança.

“Fraude” ou “Adulteração” em combustíveis é a adição de qualquer produto que modifique suas características originais, inviabilizando a garantia do produtor. Quando o refinador formula a gasolina, o faz de forma a atender às especificações vigentes e a outras propriedades também necessárias ao perfeito funcionamento do motor. Desta forma, ele garante o desempenho do produto. Na adulteração, a ausência destes critérios impede o desempenho adequado do produto.


Principais tipos de adulteração e produtos adicionados ao diesel:


Adição de óleo de soja degomado;

Adição de óleos mais pesados (residuais) , (ex. óleo queimado)

Adição de querosene

Óleo residual de fritura

Óleos vegetais

Solventes derivados de nafta

Diesel marítimo com pó colorau

Água com corante vermelho

Água (problemas drenagem tanques dos postos);

Álcool

Principais problemas do diesel adulterado:


O mau funcionamento das bombas dos motores;

Entupimento dos bicos injetores;

Entupimento dos filtros;

Aparecimento de borra no tanque (biomassa);

Corrosão no sistema de combustível;

Aumento de consumo;

Perda de potência do motor;

Aumento de emissões;

Contaminação do óleo;

Má dirigibilidade;

Calço hidráulico


Fonte: Operaction